Notícias / Ações

29 março 2019

Felipe Cordeiro cruza referências de lambada, New Wave e brega do Pará no quarto álbum

||
0 Comment
|

Cantor, compositor e guitarrista paraense projetado no movimento musical que revalorizou sons e ritmos do norte do Brasil na primeira metade dos anos 2010, Felipe Cordeiro lança hoje o quarto álbum, Transpyra.

Produzido por Kassin com o próprio Felipe Cordeiro e previsto inicialmente para ter sido lançado em 2017, o disco chega dois anos depois ao mercado fonográfico com 11 músicas no repertório majoritariamente inédito e autoral.

A conterrânea Dona Onete solta a voz em Onde é que eu vou parar(Felipe Cordeiro). Tulipa Ruiz é a convidada de Felipe Cordeiro em Perfil(Felipe Cordeiro).

O compositor apresenta parcerias com Arnaldo Antunes – Sou você e Feira de Irará, esta com a adesão de Betão Aguiar – e com Nina Becker, coautora de Sem apego.

Valorizando a ascendência musical paterna, o filho do também guitarrista Manoel Cordeiro saúda Pepeu Gomes em parceria com o pai, Pepeu e papai, e grava Lambada do Combu, tema de autoria somente de Manoel.

Felipe Cordeiro toca guitarra e synth, além de assinar as programações com Kassin, no disco gravado na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

O álbum Transpyra também conta com os toques da guitarra de Manoel Cordeiro e da bateria de Stéphane San Juan. O produtor Kassin toca baixo

Temperado com a mistura do suingue nortista com a batida sintética do pop dos anos 1980, Transpyra sucede os álbuns Banquete (2009), Kitsch pop cult (2011) e Se apaixone pela loucura do seu amor (2013), jogando no mesmo caldeirão referências da lambada, da New Wave e do brega do Pará.

FONTE:G1


|

Deixe um Comentário