Notícias /

21 novembro 2019

João Biano verte em ‘Lágrima’ o lamento e a resistência do povo negro

||
0 Comment
|

“No meio das costas, o açoite / No meio da fala, o tapa / No meio da perna, o chute / No meio do peito, o coice, na lata / (…) / Oh, senhor / Meu senhor / Essa lágrima não lava a dor / Essa lágrima não lava a dor”.

Pontuados pelo toque clássico do violão (de sete cordas) de Carlos Chaves, integrante do Quarteto Maogami, esses versos da letra de Lágrima escorrem como lamento no primeiro minuto e meio da gravação dessa música inédita feita pelo cantor e compositor paulista João Biano em parceria com Fabio Campos.

Na sequência, com a entrada da percussão de Sidon Silva (do Monobloco), Lágrima cai na cadência do samba e da resistência, revolvendo a ancestralidade de Biano, um dos fundadores da banda paulista Preto Básico.

“No ventre violado, um rebento / Mas que será amado / Alimentado, sacramentado / Criado e ensinado / A não repetir a dor”, ressalta Biano em outros altivos versos de Lágrima, vertendo orgulho negro.

Natural de Bauru (SP), mas radicado na cidade do Rio de Janeiro (RJ) desde 2012, ano em que foi convidado por Pedro Luís para ser um dos vocalistas do grupo Monobloco, João Biano apresenta Lágrima em single produzido por Sidon Silva com Carlos Chaves e lançado em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra.

Fonte:G1

|

Deixe um Comentário